Interact Gestão de Negócios

Categoria: Jurídico

QUER ADMINISTRAR MELHOR SEUS IMPOSTOS? O prazo é 31 de Janeiro…

Existem diversos formatos tributários para os contribuintes no Brasil e cada um oferece diferentes tributações e facilidades/restrições. Não há um modelo melhor ou pior, porém, há modelos mais adequados aos seus objetivos, a sua identidade e perfil de atuação. Tem sociedade uniprofissional, empreendedor individual, o Simples Nacional, lucro presumido, lucro real, recibo de pessoa física, RPA (para autônomos)…

E como descobrir o que é melhor para minha clínica, meu consultório e para mim?

1º de tudo, pense nisso antes do dia 31/Janeiro do ano corrente – essa é a data limite para optar por um enquadramento tributário. Mas qual é o melhor? Aí que entra em cena seu contador, cuja função é mostrar as alternativas possíveis, legais, e comparar os tributos, riscos, restrições/vantagens de cada formato – inclusive se é possível e interessante fazer um mix dos formatos. A obrigação do contador se estende até o momento da sua plena compreensão dos fatores importantes para SUA TOMADA DE DECISÃO. Você pode perguntar ao contador o que ele recomenda, mas a decisão é dos sócios e é intransferível.

Nossa legislação de impostos sempre muda assim como os negócios e suas expectativas… Boa gestão inclui verificar anualmente seu melhor enquadramento tributário para o ano.

Curso Finanças & Controles Financeiros para Clínicas e Consultórios 

Curso Administração para Clínicas e Consultórios

 

Resumindo….

– Se você acha que paga pouco imposto e não afeta muito seu negócio e seus rendimentos pessoais então esqueça tudo o que falamos acima.

– Se você acha os impostos altos, assegure-se de otimizá-los e evite perdas desnecessárias!

– Se você não paga impostos… Você tem 2 caminhos:

1º: ria enquanto pode e guarde uma reserva pois você vai precisar muito e em breve!

2º: mude de atitude, busque o melhor enquadramento e fique em ordem com a lei!

Os controles da Receita e do fisco são cada vez mais apurados. As chances de ser pego com “esquemas” cresce todo dia. Que aposta você quer fazer?

Na sua clínica, quem pode fazer uma delação premiada?

Se houvesse uma delação premiada em sua clínica ou consultório, você acreditaria nas acusações?

Os delegados, os procuradores, os políticos e toda a nação se interessa em saber qual é a verdade dos fatos. Como saber? Provas materiais são importantes e levam a cada um de nós às nossas conclusões.

E em sua clínica e consultório, em caso de acusações, como seria a defesa? Haveria uma documentação consistente provando uma conduta dentro da lei? Ao juntar as provas para a defesa, haveriam “surpresas”?

Os registros bem feitos, os controles financeiros e de movimentação dos pacientes, comprovantes de pagamento e recebimento, equipe bem treinada e motivada certamente são fatores importantes para ajudar a descobrir, e principalmente a prevenir, essas situações difíceis.

Não necessariamente estamos falando de problemas da magnitude dos escândalos que vemos no Brasil no momento. Porém, sua clínica pode estar passando pelas mais diversas fraudes, executadas por funcionários, fornecedores, sócios, familiares, clientes…

Participe do curso, e tenha a sua investigação em curso, antes que a Lava Jato chegue!

Como está o colesterol da sua clínica ou consultório?

“O que deu no seu check-up?”

“Como está seu colesterol?”

Com informações cada vez mais disponíveis, alguns temas da nossa saúde se tornam cada vez mais triviais. O colesterol é um exemplo clássico! Não muito tempo atrás, antes da virada do milênio, esse assunto era pouco conhecido e falado… Hoje exames são mais baratos, a informação mais acessível e a gravidade reconhecida. 

Fazendo uma comparação com a evolução da saúde das clínicas… Quando você fez o último check-up, ou mediu o colesterol?

Quando o colesterol está alto, o caminho mais comum é cortar frituras e outros alimentos e fazer exercícios. Um caminho mais aprofundado é ter uma reeducação alimentar, mudar e reestruturar hábitos com os alimentos.

Mas como seria isso com a saúde da clínica? Na verdade, muito similar. Temos que mudar comportamentos que temos, e isso costuma ser muito difícil, seja no âmbito pessoal ou da clínica. As consequências de mudar ou não mudar são drásticas para a saúde! 

Confira alguns “problemas de saúde” que clínicas podem ter caso negligenciem o monitoramento do seu “colesterol”. Lembre-se que, por trás das medidas que sugerimos (no link) para se prevenir desses problemas, propomos uma atenção diferente com a saúde (administração) da clínica. Desta forma, o objetivo é – após se proteger das doenças – fortalecer a saúde e a imunidade cada vez mais.

E você, como acha que está o colesterol da sua clínica? Quando “mediu” pela última vez?

Entre em contato com a Interact para falar sobre o “colesterol da sua clínica”!

DECISÕES – artigo publicado revista Universo Visual

“Como devo fazer para mostrar a meu pai que algumas coisas devem ser mudadas na clínica?”

“Como fazer que meu filho perceba todas as dificuldades que temos na administração da nossa clínica e se prepare para assumi-la no futuro?”

São duas perguntas frequentes, com as quais Jeanete Herzberg inicia o artigo publicado na revista Universo Visual, na edição de Junho/2017.

De forma leve, aborda os papéis dos sócios, decisões, sucessão e sociedade:

Decisões

• Como devo fazer para mostrar a meu pai que algumas coisas devem ser mudadas na clínica?
• Como fazer que meu filho perceba todas as dificuldades que temos na administração da nossa clínica e se prepare para assumi-la no futuro?
São duas perguntas frequentemente feitas por médicos – que carregam outros questionamentos profundos…
Como encarar a questão da entrada de um filho, uma filha ou parente de nova geração na clínica ou no consultório? Será que o provérbio tão citado “manda quem pode, obedece quem tem juizo” é aplicável nessa situação?
É claro que cada consultório ou clínica tem suas características próprias, sua história e seu jeito de estar presente no mercado. Da mesma forma, cada dono de consultório ou clínica deve decidir seus objetivos, onde quer chegar e como fazer isso. Essas definições serão chave para definição do rumo do negócio.
Quando pensamos em viajar de férias, por exemplo, definimos como será essa viagem: para onde vamos, quem vai, quanto tempo vamos ficar, qual o orçamento, qual tipo de transporte será usado e assim por diante…
Cada decisão dessas tem seus desdobramentos e consequências. Assim, pode ficar difícil estabelecer uma ordem, prioridade ou método que garanta uma orientação rumo ao sucesso da viagem… o que nos leva a uma pergunta essencial: O que define o sucesso de uma empreitada, como uma viagem ou da administração da clínica ou consultório?
Para começar a fazer esse exercício, sugiro entender os papéis dos sócios, para que possam refletir sobre a continuidade de seu negócio:
• Sócio – que investe seu capital e recebe lucros e dividendos como forma de remuneração;
• Médico – que atende seus pacientes e recebe por essa atividade seus honorários;
• Administrador – que se preocupa e toma decisões administrativas, financeiras e de todos os riscos na operação do negócio;
• Pessoa – que com todas as suas emoções toma decisões de todos os tipos, inclusive e principalmente as dos tópicos acima.
Na perspectiva da sucessão de comando e de propriedade da uma clínica ou consultório será necessário ajustar esses papéis com a entrada do(a) novo(a) médico(a) ou sócio(a). É preciso que em cada papel seja definido o que decidir, quem vai decidir e quando será decidido.
Cada médico toma suas decisões quanto ao tratamento e cuidado de seus pacientes. Eventualmente poderá consultar colegas, mas a decisão final é dele, assumindo riscos e responsabilidades.
Quando o assunto é societário, de administração, os riscos são diferentes daqueles diretamente ligados à saúde dos pacientes: estamos falando aqui de riscos tributários, trabalhistas, patrimoniais, responsabilidade civil e assim por diante. Qualquer problema se refletirá diretamente no patrimônio da clínica e/ou consultório e, portanto, dos sócios.
Assim, é muito importante o estabelecimento de regras de convívio para que essas decisões sejam tomadas baseadas em critérios que sejam aceitos por todos os sócios.
Como pensar nessas regras de convívio?
O primeiro passo que sugiro é definir quais são os assuntos a serem discutidos pelos sócios. Exemplos:
• Entrada e saída de sócios (parentes ou não) – qualquer parente pode entrar?
• Será exigido algum pré-requisito técnico, financeiro ou de experiência prévia para entrar na sociedade?
• E para a saída (ou entrada) de um sócio, como será feita avaliação do valor da clínica ou consultório para remunerar suas cotas?
• Para abrir clínicas-satélites ou outras unidades, quantos sócios devem estar de acordo?
• Aquisição de equipamentos ou reformar a clínica ou consultório, ou aceitar trabalhar com determinado convênio?
• Qual é a alçada que a(o) secretária(o) ou o(a) administrador(a) da clínica ou consultório tem para assumir despesas ou investimentos?
Em seguida, defina como serão contados os votos: por sócio, por quantidade de cotas que cada um possui, por tempo de casa, por família ou outro critério. A legislação já prevê algumas regras que devem ser obedecidas, mas ainda assim existem critérios que podem ser específicos de cada caso.
A próxima etapa seria a periodicidade de reunião dos sócios e votação de assuntos: semanal, quinzenal ou apenas quando surgir algum tipo de questão que requeira a presença deles?
Enfim, o que responder àqueles(as) que estão pensando na entrada de filhos(as) na clínica ou consultório? Usem a razão para estabelecer critérios e formas de decisão – tracem claramente os objetivos da clínica e definam o papel de cada um na condução da clínica ou consultório. Essas definições serão fundamentais para que a clínica ou consultório mantenham sua saúde financeira, bem como o desenvolvimento contínuo sem grandes solavancos por conta da mudança de comando.
Usem a paixão para acomodar o relacionamento familiar e assim preservar a harmonia familiar e aumentar a possibilidade de sucesso em seus negócios.

* Jeanete Herzberg é administradora de empresas graduada e pós-graduada pela EAESP/FGV. Autora do livro “Sociedade e Sucessão em Clínicas Médicas”. Membro do Conselho Consultivo da Sociedade Brasileira de Administração em Oftalmologia, gestão 2016-2018.

 

Gostou do artigo? Convidamos você para um bate-papo sobre o assunto – mande um email para marcar uma ligação com a Jeanete. Ou se quiser apenas dividir impressões e opiniões, manifeste-se também!

“ATÉ TU, BRUTUS?”

No Brasil, um assunto que não sai de moda é a corrupção. Em conversas de mesa de bar, é comum ouvir que “esses políticos corruptos acabam com o país”. Infelizmente não são apenas os políticos!

Se você vai se deslocar tarde da noite… você pensa que caminho fará, que meio de transporte usará, e depois segue vigilante durante o trajeto. Assim minimiza as chances de ser alvo de um crime ou ato de violência.

Nos negócios – e isso definitivamente inclui clínicas e consultórios – não deveria ser diferente. A reportagem do Estadão de 3/5/17 mostra como altos executivos, fornecedores, “parceiros”, entre outros, se aproveitam de oportunidades para perpetuar a moda da corrupção.

É preciso ser cuidadoso para escolher quem (pessoa física ou jurídica) participará do seu negócio. Passada essa seleção, monitore. Passado mais tempo, construída confiança na relação, não deixe de manter os olhos e ouvidos bem atentos.

Conheça uma relação de fraudes em clínicas e consultórios publicada pela Interact. Elas podem vir de sócios, familiares, empregados, fornecedores, clientes, parceiros…

Todas elas são histórias reais que nos foram contadas. E se você sabe de outra fraude, por favor conte para nós, para que fiquemos todos cada vez mais atentos e protegidos destas práticas.

Publicidade médica: quais os limites éticos?

A publicidade no meio da saúde é um assunto que dá “pano para manga”.

Difícil saber o que pode e o que não… O que é ético e o que não…

Mas podemos sempre buscar conhecimento, nos instruir para ter uma visão mais ampla e profunda do assunto.

Certa vez, uma profissional que ensina pessoas a falar em público e desenvolver a oratória foi perguntada: “Uma vez ouvi dizer que, se você não sabe gesticular de forma alinhada com seu discurso, o melhor é manter as mãos ‘presas’, e evitar mexê-las. Está correto isso?”

A resposta não poderia ser mais simples… “Não está correto! Gesticular é importante para ajudar na comunicação do seu discurso. Se não sabe como fazer isso, aprenda!”

Não deixe suas mãos atadas… Busque conhecer mais sobre a publicidade médica.

A Interact vai promover o 2o curso de Aspectos Jurídicos para clínicas e consultórios.

Além da aulas de Direito Societário, Direito Tributário, Direito Trabalhista e Erro médico & Responsabilidade Civil, nesta 2a edição foram incluídas 2 novas aulas: Direito Ambiental-Regulatório e Publicidade Médica: Quais os limites éticos?

Esta última contará com o Dr. Lavinio Nilton Camarim, Vice-presidente do CREMESP, para abordar o assunto. Será uma oportunidade imperdível!

Inscreva-se no site da Interact.

“Apenas” um bom produto, é suficiente?

Até o século passado, quem tivesse um produto de qualidade reconhecida, era basicamente sinônimo de sucesso.

Hoje, a qualidade segue sendo importante para atingir o sucesso. Mas isso por si só, basta? NÃO!

Hoje você precisa ter bom atendimento, agregar facilidades, tecnologia, wi-fi grátis, estacionamento, e parece que a lista e a demanda só crescem.

A qualidade do atendimento médico, dentário, para exames (etc) segue sendo de fundamental importância. Mas deixou de ser diferencial, passou a ser obrigação. O diferencial está ligado ao atendimento, agilidade, facilidade, conveniência, etc… Ou seja, enxergar a clínica ou consultório como negócio é necessário. Não para desvirtuar o atendimento clínico, mas para profissionalizar o atendimento do cliente como um todo, a experiência dele na clínica, transparência, minimizando os riscos jurídicos, financeiros, mercadológicos, trabalhistas, e tantos outros.

Há muito o que fazer, monitorar, pensar… Mas ao mesmo tempo, muitos desses assuntos não são tão complexos quanto alguns dos técnicos da área da saúde. Com um pouco de tempo e dedicação, pode-se fazer bastante. E na medida que eles integram a sua rotina, e a da clínica/consultório, haverá naturalmente uma evolução do tema.

Não sabe por onde começar? Precisa de ajuda? Entende um pouco da parte jurídica mas Marketing não sabe nem por onde começar? Não sabia que você tem um risco trabalhista…?

Inscreva-se no curso da Interact: Administração para Clínicas & Consultórios. Ao longo de 24hs, cobrindo 6 (macro) temas: Marketing, Planejamento Estratégico & Finanças, Contabilidade, Recursos Humanos, Tecnologia de Informação e Jurídico. O objetivo é proporcionar uma compreensão dessas áreas, potencialidades e vulnerabilidades, bem como instrumentalizar os participantes para evoluírem e desenvolverem esses assuntos dentro do seu contexto, enquanto exerce sua profissão.

Administração de Clínicas e Consultórios

Participe da 10a edição do Curso Administração para Clínicas & Consultórios (clique para conhecer o curso).

Uma oportunidade de aprender e trocar experiências com profissionais de Finanças, Marketing, Contabilidade, RH, Direito e Tecnologia da Informação.

Mais informações no site da Interact.

Melhor prevenir do que remediar

aí algo que ouvimos desde crianças, e em diferentes momentos da vida teve diferentes sentidos. E para a área da saúde, isso pode ser mais verdade ainda!

Afinal, muitos são os casos daqueles que procuram médicos quando o problema está grave, precisando (desesperadamente) “remediar”. E frente aos possíveis impactos e consequências em tal assunto (saúde), ter um bom médico se torna algo da maior importância!

Talvez a profissão que, nesse sentido, mais se assemelhe a isso – e não seja na área da saúde – seja a dos advogados. Tipicamente procura um (bom!) advogado quando você se depara com um problemão!

Uma cirurgia complexa, ou um enrosco jurídico-legal… você quer mais que “um médico” ou “um advogado”. Você quer profissionais bons, de ponta e competentes… Nada mais justo!

Mas tem algo para ser feito… Não se restrinja a tratar das suas doenças – trate a sua saúde! Não conte com o advogado apenas para os “problemas” – compartilhe com ele(a) seus planos, busque aconselhamento, planeje… Previna-se!

A Interact oferece um curso sobre os Aspectos Jurídicos para Clínicas & Consultórios (clique para saber mais sobre o curso). Será a 2a edição desse curso, que além dos temas SocietárioTrabalhistaTributário e Erro Médico & Responsabilidade Civil, terá também Direito Ambiental-regulatório: riscos com medicamentos, substancias e insumos, exigências da Anvisa e controles e Publicidade Médica: quais são os limites éticos. O objetivo é permitir ao participante identificar os riscos jurídicos no dia-a-dia da clínica, consultório ou exercício da profissão, e iniciar um trabalho de gestão desses riscos, de prevenção e mitigação.

© Blog Interact Consult 2020 - Todos os direitos reservados.