Existem diversos formatos tributários para os contribuintes no Brasil e cada um oferece diferentes tributações e facilidades/restrições. Não há um modelo melhor ou pior, porém, há modelos mais adequados aos seus objetivos, a sua identidade e perfil de atuação. Tem sociedade uniprofissional, empreendedor individual, o Simples Nacional, lucro presumido, lucro real, recibo de pessoa física, RPA (para autônomos)…

E como descobrir o que é melhor para minha clínica, meu consultório e para mim?

1º de tudo, pense nisso antes do dia 31/Janeiro do ano corrente – essa é a data limite para optar por um enquadramento tributário. Mas qual é o melhor? Aí que entra em cena seu contador, cuja função é mostrar as alternativas possíveis, legais, e comparar os tributos, riscos, restrições/vantagens de cada formato – inclusive se é possível e interessante fazer um mix dos formatos. A obrigação do contador se estende até o momento da sua plena compreensão dos fatores importantes para SUA TOMADA DE DECISÃO. Você pode perguntar ao contador o que ele recomenda, mas a decisão é dos sócios e é intransferível.

Nossa legislação de impostos sempre muda assim como os negócios e suas expectativas… Boa gestão inclui verificar anualmente seu melhor enquadramento tributário para o ano.

Curso Finanças & Controles Financeiros para Clínicas e Consultórios 

Curso Administração para Clínicas e Consultórios

 

Resumindo….

– Se você acha que paga pouco imposto e não afeta muito seu negócio e seus rendimentos pessoais então esqueça tudo o que falamos acima.

– Se você acha os impostos altos, assegure-se de otimizá-los e evite perdas desnecessárias!

– Se você não paga impostos… Você tem 2 caminhos:

1º: ria enquanto pode e guarde uma reserva pois você vai precisar muito e em breve!

2º: mude de atitude, busque o melhor enquadramento e fique em ordem com a lei!

Os controles da Receita e do fisco são cada vez mais apurados. As chances de ser pego com “esquemas” cresce todo dia. Que aposta você quer fazer?